Bastante caro ao bolsonarismo, o apoio ao presidente nas redes balançou com a divulgação da nota sobre o STF, de acordo com dados da .MAP.

O apoio ao presidente no público não militante do Facebook e Twitter, que já era baixo (14%), caiu para 11%. Entre perfis de direita, em que Bolsonaro impera, também houve queda: os 97% de apoiadores viraram 91%.

Entre esses usuários, assuntos como ensino a distância, emprego e saúde mental superaram temas políticos. A greve dos caminhoneiros foi apenas o 7.º assunto mais discutido; a nota de recuo, o 13.º.

Somado ao rescaldo da discussão sobre os atos de terça, 7, os temas tiveram apenas 21% de apoio entre os perfis analisados – um saldo desfavorável ao governo.

 

Clique aqui e leia a publicação original.

Receba nossas novidades em seu e-mail