Embate com Bolsonaro favorece Marina nas redes sociais. Manifestações e apoio à candidata crescem e superam Lula

Marina Silva é quem se destaca na semana. A candidata da Rede é a principal beneficiada pelos debates,

Candidato do PSL, porém, aumenta ainda mais a presença nas redes. Alckmin não decola 
  • As campanhas eleitorais agitam as redes sociais e levam ao aumento das manifestações sobre Política na semana terminada hoje, dia 23. O impacto de 67% do total gerado pelas manifestações em agosto, a uma semana do fim do mês, já é superior ao registrado em julho e inferior apenas aos meses marcados pelos dois grandes fatos políticos do País: a prisão de Lula, em abril, e a greve dos caminhoneiros, em maio.
  • O tom predominante do público nas redes sociais é de apoio e de torcida aos seus candidatos. Há comemoração ao desempenho dos candidatos mais bem colocados nas pesquisas.

Participação dos temas da Política, Economia e Bem-Estar nas manifestações nas redes sociais e dos formadores de opinião na Imprensa – Fonte:.MAP

  • As manifestações sobre os candidatos permanecem centradas em Jair Bolsonaro. A participação do candidato do PSL cresce ainda mais nas redes, para 68,4% do total, ante 54% da semana anterior, assim como aumenta o apoio, para 53,9% do total.
  • Mas Marina Silva é quem se destaca na semana. A candidata da Rede é a principal beneficiada pelos debates, sobretudo pelo enfrentamento que protagonizou com Bolsonaro na Rede TV!. A presença da presidenciável nas redes sociais cresce fortemente e, de forma inédita, supera Lula. Entre as manifestações sobre os candidatos nesta semana, ela soma 22,1% de participação. As manifestações positivas também avançam e chegam a 63,7% na semana.
  • De olho na boa repercussão do debate, Marina leva para sua campanha nas redes sociais as questões relativas às mulheres, como o feminicídio e o feminismo, e o desarmamento. Esses são os três temas que geraram o maior engajamento em suas páginas oficiais no Facebook e Twitter na semana, atrás apenas da agenda de candidata.
  • A estratégia da chapa tríplice e ausência nos debates permanece a prejudicar o PT. Lula tem, na semana, 14,5% de participação. Junto à Fernando Haddad, com 3,48% das manifestações, e Manuela D´Ávila, com 0,5%, soma 18,4%, atrás ainda de Marina, com 22%.
  • As manifestações positivas sobre Lula continuam a crescer e atingem 54%. As críticas a Haddad, por sua vez, se intensificam e já representam 57% do total. A decisão que o tornou réu em processo que apura irregularidades na construção de ciclovias em São Paulo o desfavorece.
  • Assim como Marina, Ciro Gomes também tem expressivo crescimento na presença nas redes sociais, com aumento das manifestações positivas. O desempenho é impulsionado pela proposta de limpar o nome dos milhares de brasileiros inscritos na Serasa pelo não pagamento de dívidas. Há apoio à proposta, assim como ironia de parte do eleitorado, que não leva a sério a ideia e capricha nos memes. O candidato do PDT tem 3,34% de participação, com 75,9% de apoio.
  • Situação diversa vive Geraldo Alckmin. Sua campanha nas redes sociais não decola. O candidato tucano é o quarto mais mencionado pelo público que se manifesta no Facebook e Twitter e pelos formadores de opinião na Imprensa, com elevada negatividade: 88,3% das repercussões.
  • Quando analisadas apenas as manifestações positivas do público geral nas redes sociais, o tucano despenca para a penúltima posição, atrás de Álvaro Dias, do Podemos. Só supera Henrique Meirelles.

Participação das manifestações positivas sobre os candidatos a presidente, na semana de 16 a 23 de agosto – Fonte:.MAP

  • Fora do plano eleitoral, um novo debate desponta nas redes: a imigração de venezuelanos. Os relatos se concentram em torno das dificuldades apresentadas pelas cidades fronteiriças em receber os vizinhos e do consequente caos nos serviços públicos. Supostos atos de violência por parte dos venezuelanos também ganham as redes e contribuem para o baixo percentual de manifestações positivas a respeito do movimento imigratório, de 7%.
  • Aborto e desarmamento são outros dois temas que se consolidam na agenda da sociedade. O primeiro recebe na semana 76% de repercussões positivas. O segundo cresce nas redes sociais impulsionado pelo embate entre Marina e Bolsonaro. A opinião fica dividida: o desarmamento conta, na semana, com 53% de postagens positivas.

Sobre PontoMAP

Combinamos análise das expectativas da sociedade e mercados com a avaliação da imagem e reputação para o seu negócio.