Assassinato de Marielle ocupa 40% das manifestações de bem-estar nas redes sociais

Diversidade, bandeira da vereadora, e desemprego dominam debate na opinião pública. IP Brasil Opinião se mantém crítico  A

Diversidade, bandeira da vereadora, e desemprego dominam debate na opinião pública. IP Brasil Opinião se mantém crítico 

A discussão sobre temas de bem-estar ocupa metade de todo o debate da opinião pública nas redes sociais na primeira metade de março, dominada principalmente por assuntos relacionados à diversidade. Somadas, manifestações a respeito de machismo, feminismo, racismo e homossexualidade têm 29% de participação no IP Brasil – Opinião, índice elaborado pela .MAP que mostra a percepção da sociedade em relação aos principais temas da atualidade.

A tendência é que essa participação aumente nos próximos dias, levando em consideração a repercussão que ainda deve ter o assassinato, na noite de ontem, da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro. Desde a divulgação do crime até as 15h de hoje, o assunto tem quase 100 mil manifestações só no twitter e representa 40% de todas as publicações relacionadas a bem-estar nessa rede. Além da justa revolta contra a violência, o crime suscita questões de gênero, raça e classe social. O título da matéria da Folha Online sobre o perfil da vereadora deixa evidente: “Feminista, negra e ‘cria da Maré’”.

POSSIBILIDADE DE PRISÃO DE LULA ELEVA POSITIVIDADE DA LAVA JATO

Enquanto isso, os formadores de opinião embarcaram nas eleições deste ano. Política teve 59% de participação nesse público, formado pela imprensa, em seus canais próprios e nas redes sociais, influenciadores e instituições. Já a opinião pública reserva apenas 22% ao tema. A possibilidade de prisão do ex-presidente Lula trouxe a Lava-Jato de volta ao centro do debate e é o tema com maior participação (25%) entre os formadores de opinião, com positividade também elevada (67%).

Fonte .MAP

Entre os principais atores destas eleições (candidatos ou não), Lula se mantém com a maior positividade, em 48% neste mês, embora ainda abaixo dos 50%. Tem também a maior participação entre eles, 49%. O deputado Jair Bolsonaro, que, vale lembrar, fez da segurança uma de suas principais bandeiras, tem 42% de positividade, mas participação de 26%. O presidente Michel Temer, “pai” da intervenção federal no Rio de Janeiro, não conseguiu converter a medida em popularidade para si e se mantém com positividade inalterada em apenas 2%. Enquanto isso, o governador Geraldo Alckmin ainda não entrou no debate nacional e sua participação se resumiu a 1,3%, com positividade de 6% neste mês.

“TEM EMPREGO NO OVO DE R$ 90?”

Para a opinião pública, que costuma trazer o debate para questões que afetam diretamente a vida cotidiana, o tema individual com maior participação (28%) continua sendo o desemprego. Um tuíte que circula pela rede resume o sentimento: “90 reais um ovo de Páscoa? O que vem dentro? Um emprego?”. Expressa, em poucas palavras, o descompasso entre os preços praticados e a renda da população, além da escassez de emprego que já se tornou um mantra nas redes sociais.

SOCIEDADE MANTÉM PESSIMISMO. IP BRASIL EM NÍVEL CRÍTICO

Olhando para todos os temas tratados por formadores de opinião e opinião pública, o IP Brasil – Opinião tem positividade de 37% neste mês e vem se mantendo próximo a uma estabilidade “baixa”, considerando que o índice varia de 0% a 100% e é mais positivo quanto mais próximo de 100%. Abaixo de 35% de positividade já se considera nível de crise.

Sobre PontoMAP

Combinamos análise das expectativas da sociedade e mercados com a avaliação da imagem e reputação para o seu negócio.